By URL
By Username
By MRSS
Enter a URL of an MRSS feed
 
or

PRIMEIRA PARTE AKI : http://www.youtube.com/watch?v=dtJbB9sxyuY Em uma final emocionante, a Zâmbia bateu a favoritíssima Costa do Mafim, nos penaltis, e conquistou o inédito título da Copa Africana de Nações, escrevendo seu nome na história. Sunzu foi o autor do gol do merecido título zambiano. A primeira etapa começou de forma surpreendente, com a Zâmbia tendo algumas oportunidades de abrir o placar. Os comandados de Herve Renard, em duas jogadas ensaiadas de escanteio, conseguiram as melhores chances.Costa do Marfim parecia distraída com o bom futebol do adversário e não conseguia se encontrar em campo. Mesmo com jogadores de mais renome, os Elefantes foram envolvidos pela ousadia de Chansa e Kalaba, melhores jogadores em campo na primeira etapa pelo lado de Zâmbia. A segunda etapa começou de forma semelhante com os surpreendentes zambianos no domínio do jogo. Apesar de menos chances, o jogo foi se equilibrando aos poucos, com as equipes tendo algumas oportunidades.O técnico dos Elefantes, François Zahoui tirou Kalou e colocou Gradel. O substituto passou a fazer estragos pelo lado esquerdo, não antes sem ter a principal oportunidade do jogo.Gervinho foi derrubado dentro da área. Pênalti marcado para Costa do Marfim e desperdiçado pelo craque do Chelsea, Didier Drogba, que isolou a bola. A partir daí, porém, o jogo passou a ser dos Elefantes, com Gradel tendo mais uma ótima oportunidade antes do fim do tempo normal. A prorrogação chegou e, com ela, a cautela. A única chance relevante no primeiro tempo foi de Chris Katongo, que recebeu passe do irmão Felix e obrigou Barry a fazer uma linda defesa com os pés.No segundo tempo, Costa do Marfim foi melhor, com chances para Gervinho e Gradel. O atacante do Arsenal, especialmente, foi uma grande ameaça para Zâmbia, jogando pela esquerda do ataque dos Elefantes.Nos pênaltis, muito equilíbrio, com a disputa chegando à nona cobrança. Gervinho perdeu por Costa do Marfim e Sunzu deslocou o goleiro Barry levando sua nação ao primeiro título continental, atropelando as zebras e os apostadores. Ao final do jogo, a frustração que abateu a Costa do Marfim era comovente.